Campestre do Maranhão

História

Idos de 1950. Mataria densa e inexplorada, onde predominavam com toda a pujança o babaçual. Selva Fria, terreno arenoso, baixadas verdejantes, porção imensa de uma gleba que se estendia do rio Lajeado ao riacho Natividade e da Água Boa ao Rio Tocantins.

Eram terras de herdades, em campo aberto, em comum com diversos condôminos e, sem demarcação, eram titulares e registradas no cartório da cidade em nome de seus proprietários, os irmãos Odilon e Epídio de Vasconcelos Milhomem.

Dada a fertilidade do seu solo, eram chamadas de “Retiro”, um refrigério na época do estio para o gado de toda a região das fazendas Palmeirinha, Buritizinho e outras adjacentes. Os rebanhos criados em sistemas primitivos também pastavam em comum e se reproduziam sob a vigilância e os cuidados dos vaqueiros. Era nesse cenário verde coberto de babaçuais que, de agosto a dezembro, gado e vaqueirama se infiltravam na mata, fugindo da seca, em busca de pastagem e caça para a sobrevivência.

Fator mais importante para o nascimento do povoado foi a exploração e comércio da amêndoa do babaçu. Podemos mesmo afirmar que Campestre nasceu por força da exploração do coco. Na década de 50 o interesse industrial da praça de Belém do Pará pela amêndoa de babaçu era enorme. Barcos motores partiam carregados de coco dos portos de Tocantinópólis e Porto Franco com destino ao Pará, onde se fazia bom preço pelo produto e os comerciantes, em contrapartida, volviam às suas praça com estoque de mercadorias e gêneros de primeira necessidade.

Nesse cenário verde e aprazível estavam “Três Barras”, à beira-rio, e São João, na boca da mata, propriedade antigas que receberam o fluxo de sertanejos vindos, principalmente, da Serra da Cinta, com as quebradeiras de coco, explorar essa riqueza vegetal, vendendo a produção diária aos agentes compradores nos seus armazém improvisados. Em sua maioria os exploradores desse produto vegetal são pessoas muito humildes e nômades. Pouco ficava na região na época invernosa, que não se presta mesmo para a quebra. Mas os que permaneciam iam construindo suas cabanas e o pequeno núcleo comunitário ia crescendo vagarosamente.

No lugar onde se situa hoje a sede do novo município, o Sr. Elpídio Milhomem instalou um comércio de compra de babaçu e, nas “Três Barras”, Zeca de Brito e filho, José Barreto e Neuton Milhomem tinham outros postos de compra de amêndoas. Em São João, Jacy Gomes Santos, Croweel Oliveira e Petrolíneo Santos Barbosa também negociavam a produção trazida pelos quebradores, num armazém que montaram na boca da mata.

As primeiras famílias foram se instalando no arruado: João Secundo, Claro Macêdo e sua esposa Dona Josefa; Cabloco Pedro fincaram as primeiras casas de morada.

Com o advento da construção na BR-010, Belém-Brasília, pelo ano de 1958, o pequeno povoado foi crescendo a beira da estrada.

Formação Administrativa

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Campestre do Maranhão, pela Lei Estadual n.º 6.143, de 10-11-1994, desmembrado de Porto Franco. Sede no atual distrito de Campestre do Maranhão (ex-localidade). Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1997.

Em divisão territorial datada de 15-VII-1997, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Fonte: Campestre do Maranhão (MA). Câmara Municipal. 2015. Disponível em: http://camaracampestre.ma.gov.br/cidade/historia. Acesso em: nov. 2015.






Inadimplências do PME

Fonte: PME, 2015-2024

Contatos:

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO
Secretário(a): Valnice dos Santos Silva
Endereço: AV. Justino Teixeira de Miranda, S/N - Setor Administrativo
Fone:

Dados estatísticos de Campestre do Maranhão:


Dados Socioeconômicos e Demográficos

1 - População Estimada (2017): 14.219
2 - População do Último Censo (2010): 13.369
4 - PIB per capita (2014): 6.647,36
5 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - IDHM (2010): 0,650
6 - Taxa de mortalidade infantil (2014): 23,58
Fonte: IBGE Cidades

Dados da Educação

1- IDEB - Anos iniciais do ensino fundamental (2015): 4,9
2 - IDEB - Anos finais do ensino fundamental (2015): 4,1
3 - Matrículas - Ensino fundamental (2015): 2.184
Fonte: IBGE Cidades

Saiba mais sobre a educação de Campestre do Maranhão


Indicadores da Meta do Plano Municipal de Educação:



Percentual da população de 4 a 5 anos que frequenta a escola/creche
(2014)
Município MA Brasil
93.70% 87.20% 81.40%

Fonte: Estado, Região e Brasil - IBGE/PNAD 2013; Município e Mesorregião - IBGE/Censo Populacional 2010


Percentual de pessoas de 6 a 14 anos que frequentam ou que já concluíram o ensino fundamental
(2014)
Município MA Brasil
97.80% 98.40% 98.40%

Fonte: Estado, Região e Brasil - IBGE/PNAD 2013; Município e Mesorregião - IBGE/Censo Populacional 2010


Percentual da população de 4 a 17 anos de idade com deficiência que frequenta a escola
(2014)
Município MA Brasil
84.90% 85.00% 85.80%

Fonte: IBGE/Censo Populacional 2010


Percentual de alunos da educação básica pública em tempo integral
(2014)
Município MA Brasil
17.30% 10.60% 13.50%

Fonte: Estado, Região e Brasil - IBGE/PNAD 2013; Município e Mesorregião - IBGE/Censo Populacional 2010


Proporção de docências com professores que possuem formação superior compatível com a área de conhecimento em que lecionam na educação básica
(2014)
Município MA Brasil
40.20% 25.20% 50.60%

Fonte: Estado, Região e Brasil - Censo da Educação Básica - 2013/ Município e Mesorregião - Censo da Educação Básica - 2014



Quero falar algo sobre Campestre do Maranhão:

Tema de meu contato:





Projetos do MPMA que Campestre do Maranhão participa:

  • Educação de Qualidade


  • Campestre do Maranhão
    Confira neste site:
    • Sobre o MPEMA
    • Sobre a EFG
    • Programas/Projetos do MPE
    • Acessar SOMA
    • Municípios

    Copyright © EFG | 2017 | Todos os direitos reservados